Coleta Seletiva

Ao contrário dos outros animais que vivem em nosso planeta, nós, humanos, somos seres culturais. A capacidade que temos de desenvolver hábitos e dar significado a símbolos nos fortaleceu como sociedade e nos ajudou a chegar ao posto de maiores consumidores da natureza. Como consequência, somos também os maiores produtores de lixo: estima-se que em 2012, apenas no Brasil, tenha sido gerado mais de 64 milhões de toneladas de resíduos. Lidar com todo esse volume é uma tarefa desafiadora, pois as opções mais baratas e práticas de manejo do lixo, como os lixões, têm custos elevadíssimos para a saúde pública e para o meio ambiente. Por isso, em nossa cidade, apostamos na coleta seletiva como uma forma de dar um destino melhor ao lixo que produzimos. Neste texto, iremos lhe explicar como a coleta seletiva funciona aqui em Coronel Xavier Chaves, como o lixo é processado em nossa Usina de Triagem e Compostagem e quais os benefícios de colaborar com esse processo.

Usina de Triagem e Compostagem de Lixo de Coronel Xavier Chaves

O que é a coleta seletiva?

A coleta seletiva é um processo no qual o lixo é separado de acordo com o material que o constitui. O objetivo dessa separação é facilitar o processo de reciclagem, visto que muitos dos materiais que descartamos ainda podem ser recuperados e tratados para que sejam úteis novamente. Dentre os materiais recicláveis, podemos citar diversos tipos de papéis, plásticos, metais e vidros, além da matéria orgânica, que pode ser tratada para gerar biocombustíveis e adubos.

Qual a importância da coleta seletiva?

Nosso ritmo de consumo hoje é muito mais acelerado do que a capacidade de regeneração da natureza. A coleta seletiva, nesse sentido, é uma forma de tentar equilibrar um pouco essa relação, pois se formos capazes de reaproveitar mais, poderemos extrair menos recursos naturais. Como consequência, a reciclagem diminui o volume de lixo a ser descartado, o que facilita a destinação correta para aterros sanitários. Isso é importante para combater problemas de saúde pública que ainda hoje são graves no Brasil, como a disseminação de doenças infecciosas por ratos e mosquitos.
Por fim, é válido ressaltar que a coleta seletiva otimiza a viabilidade econômica da reciclagem, gerando renda para muitos brasileiros. Resíduos como o vidro, o cobre e o alumínio são bastante valorizados, e por isso, existem empresas e cooperativas especializadas em reciclar e comercializar esses materiais.

Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS)

A PNRS é uma lei que organiza a forma como o país lida com o lixo, integrando o poder público, a iniciativa privada e a sociedade civil como responsáveis pela gestão dos resíduos sólidos que geramos. Ela foi instituída em 2010 e se traduz na priorização da não geração de lixo e da redução, da reutilização e da reciclagem dos rejeitos antes de se pensar no descarte final. A lei estabelece diretrizes e metas de gerenciamento ambiental, além de punições para aqueles que as descumprirem. Em nossa cidade, a coleta seletiva e a Usina de Triagem e Compostagem do Lixo são instrumentos que adotamos para nos adequar à PNRS e fazer uma gestão responsável dos resíduos que geramos.

PNRS

Mas afinal, como é feita a coleta em Coronel Xavier Chaves?

Como foi visto, a coleta seletiva é um processo que se inicia na separação do lixo. Aqui em Coronel, usamos três classificações para o lixo doméstico:
Lixo orgânico, composto por restos de alimento, folhas de jardim etc;
Lixo não reciclável, composto por lixo de banheiro, tecidos, isopor e outros materiais que não podem ser reaproveitados;
Lixo reciclável, composto por plásticos, papéis, vidros e metais.

A coleta desses materiais é feita em alguns dias específicos da semana: o lixo orgânico e o lixo não reciclável são coletados na 2ª e na 6ª feira, enquanto o lixo reciclável é coletado apenas na 4ª feira. É importante ressaltar que a coleta seletiva é obrigatória no município, e, por esse motivo, o caminhão não leva seu lixo para a Usina se os materiais estiverem misturados ou se forem colocados para fora no dia errado.

Coleta do lixo na zona urbana do município

O que acontece com o lixo depois que ele vai para a Usina?

Ao chegar na Usina, o caminhão deposita o lixo na área de recebimento. De lá, os funcionários levam os resíduos para uma banca de triagem, onde o lixo é novamente separado. O lixo orgânico é depositado em um pátio de compostagem onde fica por 120 dias até ser convertido em adubo. Ao longo do processo, algumas etapas precisam ser cumpridas, como a medição da temperatura, o ciclo de revigoramento, a peneiragem e a análise do material, feita pela Universidade Federal de Viçosa. O adubo produzido é distribuído gratuitamente e também é usado na jardinagem dos espaços públicos da cidade. O lixo reciclável, por outro lado, é prensado, pesado e vendido para empresas de reciclagem em leilões públicos. Já o lixo não reciclável, que corresponde a cerca de 15% do total, é encaminhado para o descarte em aterros controlados.

Etapas do processo de triagem e compostagem

Benefícios para a cidade

Como foi visto, a coleta seletiva que fazemos em nossas casas é o primeiro passo para que a reciclagem aconteça de forma eficiente em nossa cidade. Participar deste processo deve ser motivo de muito orgulho, pois nossa gestão de resíduos sólidos é modelo no Campo das Vertentes e caso raro no Brasil. Mesmo após a instituição da PNRS, a maioria dos municípios ainda descarta os resíduos recolhidos em lixões a céu aberto e tendem, nos próximos anos, a sofrer as punições previstas pela lei. Além disso, a Usina de Triagem e Compostagem gera empregos e renda para o município, promovendo desenvolvimento econômico através da preservação ambiental. Fique atento aos dias de coleta e colabore com este projeto!